Regulagem das suspensões 2


Regulagem das suspensões

Quando uma pessoa que tem carro importado dirige um carro nacional sente uma diferença clara de como o carro nacional absorve bem as imperfeições do nosso asfalto. Isto é chamado popularmente de tropicalização. Na realidade a tropicalização é a calibragem dos amortecedores entre outras modificações. É fato que o Brasil tem uma das piores malhas rodoviárias do mundo.
Nesta matéria vamos focar apenas nas suspensões.
As motocicletas de grande cilindrada vendidas no Brasil, algumas são importadas e outras nacionalizadas, não sofrem alterações nas suspensões porque já vem com uma série de possibilidades de regulagem.
No passado as motocicletas não possibilitavam regulagem nas suspensões, só era possível alterar a pré-carga da mola. Hoje em dia as suspensões permitem uma série enorme de regulagens, inclusive várias motocicletas vem com regulagem eletrônica e até com suspensões semi-ativas.
Essas possibilidades facilitam muito a pilotagem, desde que seja feita uma regulagem adequada, proporcionando uma pilotagem agradável e mais segura. Este é o grande problema, o brasileiro não lê, nem manual do proprietário, e é aí que mora o perigo. O que tenho visto é que a maioria dos proprietários de motocicletas com esta sofisticação, não conhecem as regulagens e na maioria usam a regulagem errada.
Vou dar um exemplo concreto. Muitos proprietários da BMW R1200GS equipada com suspensão eletrônica semi-ativa, não conhecem as regulagens, já vi de tudo, proprietário com o plug in guardado debaixo do banco, pagou por esse acessório e não usou, nem sabia da existência.
Já vi proprietários com a motocicleta posicionada no modo Rain sem saber que existem vários modos de condução.
Isto é perigoso, ou no mínimo não está aproveitando a moto na sua plenitude.
Outro exemplo do perigo da falta de conhecimento. Deixei minha GS na revenda para fazer revisão, posicionada no modo Road. Quando a retirei, ela estava no modo Enduro Pro.
Isto é comum acontecer porque a motocicleta é plugada num computador e tudo é testado, porém não obrigatoriamente ela é entregue no modo de condução que estava, a não ser que o mecânico tenha anotado e deixado na regulagem que foi deixada.
As motocicletas saem da fábrica com uma regulagem padrão que pode funcionar bem em asfalto de primeiro mundo, mas aqui no Brasil esta regulagem não funciona na maioria das motocicletas, daí a necessidade de um ajuste para adequá-las as nossas estradas e ruas.
De um modo geral as suspensões precisam sofrer ajustes nas válvulas de compressão e retorno, (compression e rebound damping). Dependendo da motocicleta você tem mais ou menos possibilidades de ajustes, algumas motocicletas só permitem regular o damping na traseira e tem um único parafuso, outras vem separado a compressão e o retorno, e as mais esportivas permitem uma série de regulagens tanto na traseira como na dianteira.

IMG_2043

IMG_2045

IMG_2047

As motos testadas pelo Riding Skills, no final de cada matéria é fornecido uma sugestão de regulagem. Em algumas motocicletas a regulagem padrão de fábrica chega a ser perigosa.
A um tempo atrás um amigo proprietário de revenda Kawasaki, estava com uma 750c.c. E na estrada vimos que estava balançando muito nas curvas. Paramos e viramos o parafuso do dumping do amortecedor traseiro na direção “Hard”. Saímos e percebemos que tinha melhorado. Paramos novamente e viramos mais um pouco o parafuso na mesma direção. Fomos experimentando fechando mais e depois voltando aos poucos até chegar num ponto em que achamos adequado. O equilíbrio da motocicleta melhorou tanto que a partir daquele dia meu amigo adotou aquela regulagem como padrão nas motocicletas vendidas na sua loja. Com a regulagem do damping mais fechada, a velocidade da compressão e do retorno do amortecedor diminui, melhorando a estabilidade nas ondulações.
Tentando exemplificar melhor a importância da regulagem do damping,
A maioria de nós já viu um carro velho com amortecedores gastos passar numa lombada, ele continua balançando para cima e para baixo por mais alguns metros. No carro com amortecedores em boas condições isto não acontece, ele passa a lombada e para de balançar.
Se você abrir totalmente o parafuso do damping do amortecedor da motocicleta, vai acontecer a mesma coisa, ela vai passar na lombada e continuar balançando para cima e para baixo por alguns metros, a medida que se vai fechando o parafuso, percebe-se que este movimento vai diminuindo.
Algumas matérias especializadas sugerem que você feche o parafuso até o momento em que com a motocicleta parada, pressionando a suspensão para baixo e soltando em seguida, ela demore aproximadamente um segundo para voltar a posição normal. É um ponto de partida.

Lógico que é preciso ir alterando aos poucos até sentir que a regulagem está adequada.
Nas suspensões com regulagem eletrônica, você pode voltar para a regulagem padrão (default) a qualquer momento, e é possível alterar as regulagens em movimento, além de facilitar é bom para o proprietário ir sentindo as diferenças de comportamento e com isso melhorar o feeling. Quando estou na estrada vou alterando as regulagens de acordo com o pavimento. Já nas suspensões com regulagem manual, a dica é contar as voltas e anotar. Ler o manual do proprietário é fundamental.


Gostei(2) Não Gostei(0)

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 thoughts on “Regulagem das suspensões

  • Miguel

    Marcos
    Suas reportagens são sempre objetivas e muito boas
    Estou na minha quarta (4*) Triumph Tiger nos últimos 21 anos.
    Sempre procurei ter as suspensões mais duras pois sempre é somente uso em estradas.
    Na que tenho hoje, uma 1.200 Explorer, tenho procurado chegar num nível mais de estrada, para uso com garupa ou de velocidade e malas cheias nas estradas, não é fácil
    Concordo que a maioria não “entende” o manual, pois são escritos para quem conhece e sabe como funcilna, nao para os leigos.
    As oficinas também não sabem regular bem para o peso e tocada do dono.
    No final, são os amigos entendidos que regulam para nós
    Miguel

  • Annibal Mendes Gonçalves

    Marcos,

    Concordo com o Miguel, no manual sempre muito complicado para entender e, sempre um amigo mais entendido é que acaba ajudando a regular.